quarta-feira, 4 de março de 2015

AMOR DE TODAS AS MULHERES

Gustavo Trindade Henriques



Eu amo todas as mulheres
Sejam elas quem forem
Ladinas
De amor enlouquecidas
Famintas
Eu amo pela vida todas elas
Todas as feias e até as mais belas

Eu amo todas as mulheres
De tez escura lamacenta
Morenas
De olhos grandes adormecidos
Serenas
De nariz bem chato
De lábios carnudos edemaciados

Eu amo as mulheres índias
De rosto pintado
Coloridos
De olhos amendoados surpresos
Enfeitados
De nariz perfurado
De lábios retos domesticados.

Eu amo as mulheres orientais
De rosto redondo
Emprenhados
De olhos pequenos
Rasgados
De nariz no rosto engradado
De lábios retos como um traço

Eu amo as mulheres negras
De tez escura, lustrosa como
Ébano
De olhos pretos, retintos
Escravos
De nariz no rosto, grossos e chatos
De lábios caídos pra frente,
Debruçados.

Eu amo as mulheres brancas
De tez macia, suave
Transparente
De rosto triangular
Quadrados
De olhos verdes, azuis endiabrados
De nariz afilado, arrebitado
De lábios corados, pintados
Eu amo todas as mulheres do mundo.

Revista Oficina de Letras, Recife: Sociedade Brasileira de Médicos Escritores: 2001.